29 novembro 2009

Que mundo Maravilhoso!


Escrito por Julius Lester e ilustrado por Joe Cepeda. Ed. Brinque-Book.

Professoa, Deus é preto?
Quantas vezes leio esta história para as crianças correspondem ao número de vezes que ouço esta pergunta ao final.
O livro conta uma versão sobre o que aconteceu logo após a criação do mundo. Deus, após contemplar sua obra, recebe críticas de Flora, um anjo encarregado de tudo.
As ideias para a melhoria do mundo vão surgindo a partir das críticas e das ajudas que Deus vai recebendo.
Neste livro, Deus é negro, casado,  e ouve opinião para criação do mundo e o que mais chama a atenção das crianças se refere ao fato de ele ser negro.
Este livro, independente de crença ou religião, além de provocar uma discussão sobre Deus poder ou não ser negro, possibilita uma desconstrução no modo de imaginar a personificação de Deus. Que outras possibilidades? De que outras maneiras ele poderia ser?
Certa vez, ouvi de uma criança negra de uns 9 anos: "Deus não merece ser preto". Discutimos sobre o assunto, mas tal frase me fez ter a certeza da importância de contar muitas e muitas histórias com personagens negros e de que ainda temos muito para desconstruir e reconstruir.

22 novembro 2009

O Rei Preto de Ouro Preto

Texto: Sylvia Orthof. Ilustrações Rogério Borges - Ed. Global
De forma poética a autora conta sua versão para a história do líder Chico Rei. Um passeio pela História que começa em África e vem para o Brasil  através dos versos e das imagens. O livro fala de luta, de liberdade, resistência.
Um aluno sempre que o livro estava para empréstimo na sala costumava pegar este livro. Um dia quis saber o motivo de ele sempre querer ler e reler este livro. Ele me disse: "Ele é negro e um pouco mineiro como eu."

14 novembro 2009

O cabelo de Lelê


Lelê é uma menina negra que inicialmente, não gosta de seus cabelos cheios de cachinhos, mas ao ler no livro sobre o continente africano descobre através da leitura sobre sua ascendência. E não tem como... Passa a gostar mais de si mesma e principalmente de seus cachinhos.
A questão abordada no livro vai ao encontro do que objetiva a lei 10.639/03, pois conhecer a história do negro e da África contribui para elevar a autoestima e também para maior compreensão sobre as diferenças étnicas sem preconceitos, sem racismos.
O texto é de Valéria Belém e as ilustrações são de Adriana Mendonça.  Companhia Editora Nacional

08 novembro 2009

Aída


"Pricesa preta? Eu nunca vi!"
Foi o que ouvi de uma aluna negra de 9 anos quando iniciei a leitura deste livro para uma turma. Como a história não é curta, fiz a leitura em capítulos. Cada dia, lia uma parte. Quando finalizei coloquei o livro na estante junto com os demais que estavam disponibilizados para leitura. A aluna correu, pegou o livro e disse: "Caraca! É princesa mesmo!"
Vi que mesmo eu lendo o livro foi difícil para ela acreditar se tratar de uma princesa preta. Afinal, como são representadas as princesas em boa parte dos livros e filmes?

Baseado na ópera Aída de Giuseppe Verdi este livro é um reconto de Leontyne Price  ilustrado por Leo e Diane Dillon.
O livro conta a história de uma princesa egípcia dividida entre o amor ao seu pai e seu povo e uma paixão por um guerreiro do exército egípicio, inimigo de seu povo.
A beleza das roupas e adornos estão presentes nas ilustrações que têm cores quentes e traços delicados.
Todas as páginas possuem na borda desenho de flores na cor do ouro lembrando objetos da realeza.
Ed. Ática

01 novembro 2009

Bruna e a galinha d'angola

O texto é de Gercilga de Almeida e as ilustrações de Valéria Saraiva. Ed. Pallas
A galinha d'angola é uma ave originária do continente africano. É um símbolo.
Neste texto, dentro da história de uma menina, neta de africana, que conquista amizades depois que ganha um galinha d'angola,  a autora também conta uma história da criação do mundo.
O texto mostra o quanto que se carrega de histórias na memória e o quanto que objetos significativos podem ser fundamentais para o ato de rememorar.
Histórias contagiam e podem trazer transformações. É o que vemos também nesta obra e, muitas vezes, na vida. 

Para os que apreciam atividades de Artes em conjunto com histórias, este livro sugere a arte de modelar o barro e a pintura de tecidos. E por que não colocar em prática?

Fonte da imagem: http://www.pallaseditora.com.br/